Notícias

Projeto de Educação e Prevenção em Saúde Bucal

A- A A+

 

“DENTINHO E SEUS SUPER AMIGOS”

 

- Visitas a todas as escolas de ensino fundamental do município;

 

- Apresentação de Teatro Educativo;

 

- Concurso de Redação e Desenho em todas as escolas;

 

- Orientações específicas sobre higiene bucal;

 

- Distribuição de kits de higiene bucal (estojo, escova, pasta e fio dental);

 

- Evidenciação de placa e escovação dental supervisionada;

 

- Confraternização entre profissionais, professores e alunos com música sobre saúde bucal coreografada;

 

- Distribuição de Livrinhos de Atividades a todos os alunos e professores;

 

- O Projeto foi executado entre os dias 22/08/2016 e 12/09/2016;

 

- Foram realizadas 21 visitas;

 

- Participaram das atividades 2900 crianças;

 

- Distribuímos: 2.900 kits de higiene bucal e 3.000 livrinhos de atividades.

Galeria de Fotos

Projeto de Educação e Prevenção em Saúde Bucal Projeto de Educação e Prevenção em Saúde Bucal Projeto de Educação e Prevenção em Saúde Bucal

Outubro Rosa

 

O mês de outubro foi todo dedicado ao atendimento às mulheres. As Unidades de Saúde tiveram diversas programações como palestras, aumento na oferta de coleta do exame preventivo do câncer do colo uterino e de testes rápidos, além de consultas de rotina, exame clínico das mamas. Também foi realizada busca ativa de faltosas para mamografia de rastreamento. As ACS fizeram esse trabalho distribuindo também panfletos educativos.

 

Na última semana do mês tivemos cinco postos de saúde oferecendo atendimento em horário noturno, com oferta de preventivo, testes rápidos, vacinas, consultas médicas e atendimento odontológico, para as mulheres que trabalham durante o dia.

 

No dia 27 tivemos o nosso evento, para encerrar a semana, com uma caminhada pela conscientização da prevenção do câncer de mama, seguida de uma Palestra com o Enfermeiro Agostinho Basso, um espaço dedicado para depoimentos de mulheres que estão na luta contra o câncer, sorteio de vários brindes, lanche delicioso. No evento desse ano tivemos um recorde em público, contando com aproximadamente 600 mulheres.

 

Total de Preventivos Realizados: 664

 

Total de Pacientes que fizeram Testes Rápidos (HIV, Sífilis, Hepatites): 147

Galeria de Fotos

Outubro Rosa Outubro Rosa Outubro Rosa

Setembro Amarelo

 

Em razão da campanha preventiva do Setembro Amarelo intitulada “FALAR É A MELHOR SOLUÇÃO”, o Centro de Atenção à Saúde Mental desenvolveu ações envolvendo pacientes e seus familiares, objetivando sensibilizar sobre a temática SUICÍDIO.

Galeria de Fotos

Setembro Amarelo Setembro Amarelo

Agosto Azul

 

O município intensificou, no mês de agosto, as atividades voltadas a Saúde do Homem. Foram ofertadas consultas com pedido de exames de rotina adequados a idade de cada um, busca ativa daqueles que não procuram a unidade, intensificação de teste rápido, revisão de esquema vacinal, oportunizando vacinas.

 

Tivemos também um dia de programação especial, dia 23 de agosto, um evento a tarde, com palestra com o Enfermeiro Agostinho Basso focada na Importância do Cuidado com a Saúde. Contamos ainda com uma fala do Odontólogo Wellington Moleta e uma atividade com a Fisioterapeuta Luciane. Esse evento teve uma adesão muito boa por parte dos pacientes, em comparação ao ano anterior, uma semente que foi lançada e que está produzindo frutos mais e mais a cada ano. Contamos com a participação de 150 homens.

 

A noite, nessa mesma data, entre as 19 e 22 horas 4 unidades de Saúde funcionaram oferecendo TR, vacinas e atendimento médico e odontológico, para os trabalhadores diurnos.

 

Os resultados dessas ações ainda estão surgindo, os pacientes tem trazido os resultados de exames, conseguimos detectar novos hipertensos, diabéticos, alguns casos de doenças da próstata, o que nos mostra a importância da continuidade desse trabalho.

Galeria de Fotos

Agosto Azul Agosto Azul Agosto Azul

Atividade Coletiva no Parque Ambiental

 

No dia 28/04/2016 a Equipe de Saúde da Família com Saúde Bucal “Dionéia Pereira Manosso” situada na Vila Zezo, realizou uma atividade coletiva com os grupos de hipertensos, diabéticos e idosos no Parque Ambiental do nosso município.

 

Foram realizadas atividades educativas com a Médica Dra. Gisele Cuzzuol Pedrini, a Dentista Dra. Ana Paola Menon, a Fisioterapeuta Luciana Carvalho Pinheiro, a Técnica de Saúde Bucal Valdete de Lima e a Auxiliar de Saúde Bucal Glauciane Dussanoski.

 

A Enfermeira Tatieli Moleta de Antoni, a Técnica de Enfermagem Sueli Paitra, as Agentes Comunitárias de Saúde Claudia Aparecida da Silva, Luciane Mocelim, Eliziane Korchak e a Auxiliar de Serviços Gerais Edina Galvão, realizaram as atividades com o grupo HIPERDIA (Hipertensos e Diabéticos).

 

Também foi realizado sorteio de brindes e lanche para os 36 participantes.

Galeria de Fotos

Atividade Coletiva no Parque Ambiental Atividade Coletiva no Parque Ambiental Atividade Coletiva no Parque Ambiental Atividade Coletiva no Parque Ambiental Atividade Coletiva no Parque Ambiental Atividade Coletiva no Parque Ambiental Atividade Coletiva no Parque Ambiental

Mobilização Hora H

 

No sábado de carnaval, dia 06 de fevereiro ocorreu em nossa cidade uma grande mobilização atendendo ao chamado da Secretaria do Estado do Paraná para a "Hora H", com distribuição de panfletos, folders e adesivos com mensagens de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya o Aedes aegypti.

 

Houve carreata contando com o apoio de diversos órgãos como: Secretaria Municipal de Saúde, Defesa Civil, Secretaria de Obras, Vigilância Sanitária e também Agentes de Endemias e a população que foi convidada a participar.

           

Ainda no mesmo momento alguns agentes estavam localizados em frente a Agência do Trabalhador prestando informações para a população e alertando os riscos e formas de  prevenção contra o mosquito, contando com material interativo e simulações de certo e errado que poderia ser encontrado nos quintais.

 

O objetivo era chamar a atenção de todos para naquele momento vistoriar seu quintal e eliminar todos os possíveis focos do vetor. Lembrando que nosso Município encontra-se infestado e que as três doenças são adquiridas através da picada do mosquito Aedes aegypti ou o Aedes albopictus.

 

A única forma de evitar essas doenças é com o combate do mosquito, através da eliminação dos criadouros nas casas, no trabalho e nas áreas públicas. Só vamos conseguir acabar com o mosquito se houver união de todos.

 

O importante é que todos cuidem da própria casa, cobrem dos vizinhos e avisem os órgãos públicos responsáveis, caso encontrem focos de dengue. A prevenção é nossa única arma.

 

A saúde de todos nós está em jogo.

Galeria de Fotos

Mobilização Hora H Mobilização Hora H Mobilização Hora H Mobilização Hora H Mobilização Hora H Mobilização Hora H Mobilização Hora H Mobilização Hora H

Campanha HORA H

 

O Governo do Paraná em parceria com as Prefeituras Municipais, Secretarias Municipais de Saúde, Vigilâncias Sanitárias e a Sociedade Civil Organizada, promovem no sábado de carnaval dia 06/02/2016 uma grande mobilização a fim de convocar a população a fazer a sua parte no combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya e do Zika.

 

Trata-se da Campanha HORA H. O objetivo é que no dia 06 de Fevereiro de 2016, sábado de carnaval, toda população comece à partir das 10 horas da manhã, a fazer uma vistoria em suas residências e nos seus estabelecimentos, eliminando todo recipiente que possa acumular água e se tornar um criadouro do mosquito. A intenção é chamar a atenção da população para que esse tipo de vistoria se torne um hábito.

 

No Paraná, mais de 90% dos criadouros encontrados pelas equipes de saúde estão localizados dentro de residências e quintais. O principal vilão é o lixo, mas todo objeto ou local que possa acumular água precisa ser verificado e eliminado. Lembramos que haverá coleta de lixo em toda área urbana neste dia.

 

Para facilitar a ação da população estão sendo entregues panfletos com informações sobre os principais locais e objetos que devem ser vistoriados ou eliminados. Visualize as imagens abaixo.

 

Não esqueça, dia 06 DE FEVEREIRO, 10 HORAS DA MANHÃ É A HORA H.

 

Faça sua parte, pois combater o mosquito transmissor da DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA é um dever de todos nós!!!

 

Lembre-se: A DENGUE PODE MATAR!!!

Galeria de Fotos

Campanha HORA H Campanha HORA H Campanha HORA H Campanha HORA H Campanha HORA H

Doação de Sangue

 

DOAR SANGUE

 

Se você está entre os que reúnem as condições necessárias para se tornar um doador e quer prestar este ato de solidariedade e cidadania, procure uma das unidades de coleta em todas as regiões do Estado.

 

 

PERGUNTAS FREQUENTES:

 

É preciso algum documento de identidade? 

 

Sim. Para doar sangue, o candidato deve apresentar um documento original, com foto, expedido por órgão oficial, como Carteira de Identidade (RG), Carteira órgão de classe (Coren, CRM, Crefito, CRO, CREA e outros), Carteira de Trabalho, Carteira de Habilitação (CNH), Passaporte.

 

Como é feita a coleta?

 

1º - Realiza-se o “exame para anemia”, teste rápido que é feito com apenas uma gota de sangue obtido de uma punção no dedo (igual ao teste de diabetes). Candidatos à doação com anemia não devem doar;


2º - Verifica-se a pressão arterial, batimentos cardíacos e o peso do candidato à doação;


3º - Coleta-se 450 ml (menos que meio litro) de sangue do doador e todo o material utilizado na coleta é seguro, esterilizado, de uso único e descartável após a utilização;

 

4º - Ao término da doação o doador recebe um lanche.

 

Quais os cuidados necessários após a doação de sangue?

 

1º - Evite dobrar o braço por aproximadamente 30 minutos;

 

2º - Evite carregar peso com o braço que foi realizada a doação por 4 horas;

 

3º - Evite esforços físicos exagerados no dia da doação;

 

4º - Aumente a ingestão de líquidos (água, chá, sucos);

 

5º - Não fume por cerca de 2 horas;

 

6º - Evite bebidas alcoólicas por 12 horas;

 

7º - Mantenha o curativo no local da punção por pelo menos de 4 horas.

 

O que acontece com o meu sangue após a doação?

 

Com o sangue coletado em TUBOS são realizados testes para classificar o seu tipo sanguíneo (Sistemas ABO e Rh) e testes sorológicos para identificar doenças infecciosas que são transmitidas pela transfusão de sangue como Sífilis, Doença de Chagas, Hepatite B, Hepatite C, Infecção pelo vírus HIV e HTLV.

 

O sangue coletado em BOLSA é separado em até quatro componentes diferentes que são Concentrado de Hemácias, Concentrado de Plaquetas, Plasma e Crioprecipitado. Estes “hemocomponentes” são armazenados e utilizados para transfusão somente após o resultado negativo dos testes sorológicos.

 

Fonte: Secretaria da Saúde do Paraná

Galeria de Fotos

Doação de Sangue

Rotulagem de Alimentos

 

ORIENTAÇÕES

 

O Paraná é o primeiro Estado do país a exigir a rotulagem de frutas, verduras e legumes disponíveis à venda no comércio local. Pioneira no país, a medida visa garantir mais segurança e qualidade dos produtos comercializados no Estado, tanto no varejo quanto no atacado. Nesta primeira etapa, a exigência vale para dez alimentos de origem vegetal: banana, cebola, cenoura, couve-flor, laranja, maçã, morango, repolho, tomate e uva.

 

Fonte: Secretaria da Saúde do Paraná

Galeria de Fotos

Rotulagem de Alimentos

Aranha Marrom

 

DESCRIÇÃO E HÁBITOS
 

As “aranhas marrons” (Loxosceles sp) são muito comuns em Curitiba, Região Metropolitana, região de Irati, Ponta Grossa, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco e Jacarezinho, ocorrendo em menor freqüência em todo o Estado. É importante lembrar que este gênero de aranha ocorre em vários países do mundo.

 

São animais pequenos, medem em torno de 4 cm de diâmetro quando adultos. Sua coloração é marrom e possuem pernas longas e finas.

 

Não são agressivas, gostam de lugares escuros, quentes e secos. No ambiente externo, vivem debaixo de cascas de árvores, em folhas secas, em buracos, em telhas e tijolos empilhados, muros velhos, paredes de galinheiro e outros. Dentro das casas, ficam atrás de quadros, armários, entre livros, caixas de papelão e outros materiais que não são muito remexidos. Importante lembrar que materiais de construção (como tijolos, telhas, lajotas, azulejos, madeiras) guardados também servem de abrigo para as aranhas.

 

Constroem teias irregulares com aparência de algodão esfiapado e se alimentam de pequenos animais como o tatuzinho e principalmente insetos, como formigas, pulgas, traças, preferencialmente cupins.

 

 

COMO ACONTECEM OS ACIDENTES

 

As Loxosceles saem em busca de alimento à noite, e é neste momento que podem se esconder em roupas, toalhas, roupas de cama e calçados.

 

Os acidentes acontecem quando a pessoa, ao se vestir, ou mesmo durante o sono, comprime a aranha contra a pele.

 

A picada nem sempre é percebida pela pessoa, por ser pouco dolorosa. A dor pode iniciar várias horas após.

 

As alterações locais mais comuns são: dor em queimação, vermelhidão, mancha roxa, inchaço, bolhas, coceira e enduração. Dias após, podem ocorrer outras alterações como necrose, dor de cabeça, mal-estar geral, náusea, dores pelo corpo.

 

 

MEDIDAS PREVENTIVAS

 

É importante salientar que, para uma “praga” se estabelecer em um ambiente, são necessárias algumas condições ideais que podemos chamar de 4 AS:

 

- Acesso – por onde o animal entrou no ambiente (frestas, vãos, buracos);

 

- Abrigo – locais onde as aranhas podem se esconder (atrás de móveis, quadros, entulhos);

 

- Alimento – principalmente insetos;

 

- Água.

 

Assim como as aranhas, qualquer praga, como ratos, baratas, mosquitos, escorpiões, encontrando estas condições, certamente irão se proliferar neste ambiente. 

 

 

LOCAIS DE ATENDIMENTO E INFORMAÇÕES
 

No caso de ocorrência do acidente com a “aranha marrom”, procurar o quanto antes o posto de saúde mais próximo. Se possível levar junto a aranha causadora do acidente, para auxiliar na rapidez do diagnóstico.

 

Telefones Úteis:

 

- Secretaria Municipal de Saúde: (42) 3436-1379

 

- Pronto Atendimento Municipal: (42) 3436-1144

 

 

COMO ENVIAR AMOSTRAS PARA IDENTIFICAÇÃO
 

A identificação do gênero dos animais peçonhentos encontrados pela população é muito importante para os serviços de saúde, principalmente para o desencadeamento das ações de vigilância em saúde. Caso exista interesse em encaminhar aranhas ou escorpiões para identificação, poderão ser seguidos os seguintes passos:

 

- Coletar o animal com segurança em um recipiente e matá-lo com álcool;

 

- Para o transporte, a melhor maneira é umedecer com álcool uma mecha de algodão, colocá-la no fundo de um recipiente, colocar a aranha ou escorpião e por cima outra mecha umedecida no álcool;

 

- Tampar o recipiente e etiquetar com as informações sobre o local de coleta (ficha em anexo) e entregá-lo em um serviço de saúde mais próximo e solicitar que seja enviado para identificação na Secretaria Estadual de Saúde/ Centro de Saúde Ambiental/ Divisão de Zoonoses. Rua Piquiri, 170, Curitiba/Pr CEP 80230-040.

 

Fonte: Secretaria da Saúde do Paraná

Galeria de Fotos

Lesao 7 Dias Lesao Inicial Abrigo Interno Abrigo Externo Aranha Marrom

Dengue

 

SINTOMAS

 

Fique alerta aos sintomas da dengue.


Depois da picada do mosquito com o vírus, os sintomas se manifestam normalmente do 3º ao 15º dia. Esse período é chamado de incubação. O tempo médio de duração da doença é de cinco a seis dias. É só depois do período de incubação que os seguintes sintomas aparecem: 

 

Dengue Clássica

 

- Febre alta com início súbito;

 

- Dor de cabeça;

 

- Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento deles;

 

- Perda do paladar e apetite;

 

- Náuseas e vômitos;

 

- Tonturas;

 

- Extremo cansaço;

 

- Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membro superiores;


- Moleza e dor no corpo;

 

- Muitas dores nos ossos e articulações.

 

Dengue Hemorrágica

 

Os sintomas da dengue hemorrágica no início da doença são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre, com maior freqüência, quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alarme:

 

- Dores abdominais fortes e contínuas;

 

- Vômitos persistentes;

 

- Pele pálida, fria e úmida;

 

- Sangramento pelo nariz, boca e gengivas;

 

- Sonolência, agitação e confusão mental;

 

- Sede excessiva e boca seca;

 

- Pulso rápido e fraco;

 

- Dificuldade respiratória;

 

- Perda de consciência.

 

Na dengue hemorrágica, o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas.

 

Se você apresenta esses sintomas, vá imediatamente a uma unidade de saúde.

 

 

PREVENÇÃO


Para tomar medidas preventivas e impedir que a dengue chegue até a sua cidade ou município, a melhor atitude é combater os focos de acúmulo de água. Esses locais são propícios para a criação e reprodução do mosquito transmissor da dengue.

 

Ajude o Brasil a combater a dengue. Para prevenir a chegada da doença veja alguns cuidados importantes: 

 

- mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água;

 

- coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada;

 

- não jogue lixo em terrenos baldios;

 

- se for guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha sempre a boca para baixo;

 

- não deixe a água da chuva acumulada sobre a laje;

 

- encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda;

 

- se for guardar pneus velhos em casa, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva;

 

- limpe as calhas com freqüência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água;

 

- lave com freqüência, com água e sabão, os recipientes utilizados para guardar água, pelo menos uma vez por semana;

 

- os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com freqüência.

 

 

MITOS SOBRE O MOSQUITO DA DENGUE 

 

AR CONDICIONADO E VENTILADORES MATAM O MOSQUITO - MENTIRA!

 

Quando se usa o ar condicionado a temperatura e a umidade baixam, isso inibe o mosquito.

 

Ele tem mais dificuldade para detectar onde estará a possível vítima de sua picada. Porém não morrerá. Estes aparelhos apenas espantam o mosquito que poderá voltar em outro momento quando eles estiverem desligados.

 

PARA MATAR OS OVOS DO MOSQUITO BASTA SECAR OS RESERVATÓRIOS DE ÁGUA PARADA - MENTIRA!

 

Não é apenas o simples ato de secar os reservatórios de água parada que irá impedir o mosquito da dengue de se reproduzir. É preciso limpar o local também, pois o ovo ainda pode ser manter "vivo" por mais de um ano sem água. 

 

REPELENTES SÃO FUNDAMENTAL NO COMBATE À DENGUE - MENTIRA!

 

Repelentes, velas de citronela ou andiroba, ao contrário do que muita gente pensa, não têm muito efeito no combate à dengue, pois têm efeito indeterminado e temporário. 

 

TOMAR VITAMINA B AFASTA O MOSQUITO - MENTIRA!

 

Apesar de ser verdade que o mosquito é atraído de acordo com a respiração e o gás carbônico exalado pela pessoa, a ingestão de vitamina B - alho ou cebola também - (que têm cheiro eliminado pela pele) não é uma medida eficaz de combate à dengue. Tomar vitamina B pode afastar mosquito, mais isso não dura muito e também irá variar de acordo com o metabolismo de cada pessoa, podendo até não ter efeito algum. 

 

QUALQUER PICADA DO MOSQUITO TRANSMITE A DOENÇA - MENTIRA!

 

Primeiramente é necessário que o mosquito esteja contaminado. Além disso, cerca de metade das pessoas picadas não desenvolvem a doença. Entre 20 e 50% vão desenvolver formas subclínicas da doença. Ou seja, sem apresentar sintomas. Mesmo assim, é importante em caso de dúvida ou qualquer suspeita procurar o posto de saúde mais próximo. 

 

BORRA DE CAFÉ NA ÁGUA DAS PLANTAS MATA OS OVOS DO MOSQUITO - MENTIRA! 
 

Não há comprovação de eficácia da borra de café na água das plantas e sobre a terra no combate ao mosquito. Pelo contrário, já foi verificado na prática que a larva do Aedes aegypti se desenvolve na água suja de borra de café. Ao invés de usar a borra, tente eliminar os pratos dos vasos, ou coloque areia até as bordas deles de forma a eliminar a água. Lave também os pratos com bucha e sabão semanalmente. Isso é eficaz contra a dengue. 

 

AS LARVAS DO MOSQUITO SÓ SE DESENVOLVEM EM ÁGUA LIMPA - MENTIRA!

 

Os ovos do mosquito também podem se desenvolver em água suja e parada. Hoje se discute até se as fêmeas do Aedes têm realmente a preferência pela água limpa. Então para combater a dengue, o importante é acabar com qualquer reservatório de água parada, seja limpa ou suja.

 

 

DENÚNCIA DE FOCOS


Combater a dengue é dever de todos!

 

Se você souber de um local que não esteja observando as orientações de prevenção contra a Dengue, propiciando o acúmulo de água parada, denuncie à Secretaria de Saúde de seu município.

 

 

O QUE FAZER EM CASO DE SUSPEITA


Em caso de suspeita de Dengue, procure a Unidade de Saúde ou Posto de Saúde mais próximo à sua residência.


O rápido diagnóstico é fundamental no tratamento da Dengue!

 

Fonte: Secretaria da Saúde do Paraná

Galeria de Fotos

Dengue Dengue

Galeria de Downloads

 Cartazes Dengue

 Folders Dengue

Zika e Microcefalia

 

PERGUNTAS E RESPOSTAS – ZIKA VÍRUS

 

1. O que é a febre por Vírus Zika?

 

O vírus Zika é um arbovírus (grande família de vírus), transmitido pela picada do mesmo vetor da dengue, o Aedes aegypti. É uma doença viral caracterizada pelo quadro clínico de febre, presença de manchas vermelhas na pele com coceira, olhos vermelhos sem coceira e sem secreção, dores musculares e nas articulações.

 

2. Qual a distribuição dessa doença?

 

O Zika é considerado endêmico no Leste e Oeste do continente Africano. Evidências sorológicas em humanos sugerem que a partir do ano de 1966 o vírus tenha se disseminado para o continente asiático.

 

Atualmente há registro de circulação esporádica na África (Nigéria, Tanzânia, Egito, África Central, Serra Leoa, Gabão, Senegal, Costa do Marfim, Camarões, Etiópia, Quênia, Somália e Burkina Faso) e Ásia (Malásia, Índia, Paquistão, Filipinas, Tailândia, Vietnã, Camboja, Índia, Indonésia) e Oceania (Micronésia, Polinésia Francesa, Nova Caledônia/França e Ilhas Cook). 
Casos importados de Zika vírus foram descritos no Canadá, Alemanha, Itália, Japão, Estados Unidos e Austrália.

 

O Brasil está entre os países que apresentaram circulação autóctone (natural do lugar em que se encontra) em 2015, juntamente com outros países da América do Sul (Paraguai, Colômbia e Suriname) e Central (Guatemala).

 

3. Como é transmitida?

 

A principal via de transmissão é vetorial, por meio da picada de mosquitos Aedes aegypti. Após um período de incubação (período entre a picada do mosquito e o início de sintomas) de cerca de aproximadamente 4 dias, o paciente poderá iniciar os primeiros sinais e sintomas.
 

4. Quais são os principais sinais e sintomas?

 

Os principais sinais e sintomas incluem manchas vermelhas na pele com coceira, febre, olhos vermelhos (sem coceira e sem secreção), inflamação ou dor nas articulações, dor muscular, dor de cabeça e dor nas costas. Com menor freqüência, há relatos também de inchaço, dor de garganta, tosse e vômitos. Segundo a literatura, apenas 18% das pessoas apresentam manifestações clínicas da doença. Geralmente os sinais e sintomas duram de 2 a 7 dias.
 

5. Qual o prognóstico?

 

Não havia conhecimento científico acumulado no mundo sobre zika vírus. Agora, diante dos recentes achados científicos, a orientação é tratar zika como dengue grave. A comunidade científica ainda estuda como a doença evolui e como leva ao agravamento.
 

6. Há tratamento ou vacina contra o Zika vírus?

 

O tratamento é sintomático e baseado no uso de acetaminofeno (paracetamol) para febre e dor, conforme orientação médica. Não está indicado o uso de ácido acetilsalicílico e drogas anti-inflamatórias devido ao risco aumentado de complicações hemorrágicas, como ocorre com a dengue. Orienta-se procurar o serviço de saúde para orientação adequada. Não há vacina contra o Zika vírus.

 

7. Quais as medidas de prevenção e controle?

 

As medidas de prevenção e controle são semelhantes às da dengue e chikungunya. Não existem medidas de controle específicas direcionadas ao homem, uma vez que não se dispõe de nenhuma vacina ou drogas antivirais. Dessa forma, o controle está centrado na eliminação de criadouros do mosquito transmissor.

 

Roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos, proporciona alguma proteção às picadas dos mosquitos e podem ser adotadas principalmente durante surtos. Repelentes podem ser aplicados na pele exposta ou nas roupas.
 

8. Qual a recomendação aos profissionais de saúde sobre o diagnóstico e tratamento da doença?

 

Após a identificação do Zika Vírus no país, há regiões com ocorrência simultânea de casos de dengue e chikungunya, que, por apresentarem quadro clínico semelhante, não permitem afirmar que os casos de síndrome exantemática (manchas vermelhas na pele) identificados sejam relacionados exclusivamente ao Zika Vírus.

 

Assim, independentemente da confirmação das amostras para ZIKAV, é importante que os profissionais de saúde se mantenham atentos frente aos casos suspeitos de dengue nas unidades de saúde e adotem as recomendações para manejo clínico do paciente. Como há elevado potencial de complicações, os profissionais de saúde devem tomar as medidas clínicas específicas, incluindo a classificação de risco, hidratação e monitoramento.

 

PERGUNTAS E RESPOSTAS – MICROCEFALIA

 

1. O que é a microcefalia?

 

A microcefalia não é um agravo novo. Trata-se de uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês nascem com perímetro cefálico (PC) menor que o normal, que habitualmente é igual ou superior a 32 cm.
 

2. Quais as causas desta condição?

 

Essa malformação congênita pode ser efeito de uma série de fatores de diferentes origens, como substâncias químicas e agentes biológicos (infecciosos), como bactérias, vírus e radiação.
 

3. O que é o vírus Zika?

 

O vírus Zika é um arbovírus (grande família de vírus), transmitido pela picada do mesmo vetor da dengue, o Aedes aegypti.

 

4. Já há confirmação que o aumento de casos de microcefalia no Brasil é causado pelo vírus Zika?

 

O Ministério da Saúde confirmou no sábado (28/11) a relação entre o vírus Zika e o surto de microcefalia na região Nordeste. O Instituto Evandro Chagas, órgão do ministério em Belém (PA), encaminhou o resultado de exames realizados em um bebê, nascida no Ceará, com microcefalia e outras malformações congênitas. Em amostras de sangue e tecidos, foi identificada a presença do vírus Zika.

 

A partir desse achado do bebê que veio a óbito, o Ministério da Saúde considera confirmada a relação entre o vírus e a ocorrência de microcefalia. Essa é uma situação inédita na pesquisa científica mundial.

 

As investigações sobre o tema devem continuar para esclarecer questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante. Em análise inicial, o risco está associado aos primeiros três meses de gravidez.

 

O achado reforça o chamado para uma mobilização nacional para conter o mosquito transmissor, o Aedes aegypti, responsável pela disseminação doença.

 

5. A microcefalia pode levar a óbito ou deixar seqüelas?

 

Cerca de 90% das microcefalias estão associadas com retardo mental, exceto nas de origem familiar, que podem ter o desenvolvimento cognitivo normal. O tipo e o nível de gravidade da seqüela vão variar caso a caso. Tratamentos realizados desde os primeiros anos melhoram o desenvolvimento e a qualidade de vida.

 

6. Como é feito o diagnóstico?

 

Após o nascimento do recém-nascido, o primeiro exame físico é rotina nos berçários e deve ser feito em até 24 horas do nascimento. Este período é um dos principais momentos para se realizar busca ativa de possíveis anomalias congênitas. Por isso, é importante que os profissionais de saúde fiquem sensíveis para notificar os casos de microcefalia no registro da doença no Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (Sinasc).

 

7. É possível detectar a microcefalia no pré-natal? Apenas a ultrassonografia é suficiente?

 

Sim. As gestantes deverão manter toda a rotina do pré-natal (exames, avaliação clínica e orientações de rotina) além de verificar a medida do perímetro cefálico do feto no exame ultrassom; toda gestante com diagnóstico ultrassonográfico de microcefalia fetal intraútero deverá ser estratificada como gestação de alto risco e ser encaminhada para acompanhamento no serviço de referência da Rede Mãe Paranaense de Gestação de Alto Risco da sua região. 
 

8. Qual o tratamento para a microcefalia?

 

Não há tratamento específico para a microcefalia. Existem ações de suporte que podem auxiliar no desenvolvimento do bebê e da criança, e este acompanhamento tem protocolo definido na Rede Mãe Paranaense. Como cada criança desenvolve complicações diferentes - entre elas respiratórias, neurológicas e motoras – o acompanhamento por diferentes especialistas vai depender das funções que ficarem comprometidas.

 

Estão disponíveis serviços de atenção básica, serviços especializados de reabilitação, os serviços de exame e diagnóstico e serviços hospitalares, além de órteses e próteses aos casos em que se aplicar.

 

9. Quais estados estão apontando crescimento de casos de microcefalia acima da média?

 

Até o dia 28 de novembro, foram notificados à Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde 1.248 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 311 municípios de 14 estados do Brasil. O estado de Pernambuco mantém-se com o maior número de casos (646), sendo o primeiro a identificar aumento de microcefalia em sua região e que conta com o acompanhamento de equipe do Ministério da Saúde desde o dia 22 de outubro. Em seguida, estão os estados de Paraíba (248), Rio Grande do Norte (79), Sergipe (77), Alagoas (59), Bahia (37), Piauí (36), Ceará (25), Maranhão (12), Rio de Janeiro (12), Tocantins (12), Goiás (02), Distrito Federal (1) e Mato Grosso do Sul (1).

 

10. Há registro de ‘surtos’ de microcefalia em outros países?

 

Até o momento, a comunidade científica não havia registrado casos de microcefalia vinculados ao Zika Vírus em países com circulação da doença. Até novembro de 2015, o Paraná não registrou aumento no número de casos de microcefalia e os casos registrados (4) não têm vinculação com o Zika Vírus.

 

11. Quais exames estão sendo realizados nas crianças e nas gestantes dos estados que já notificaram o Ministério da Saúde?

 

A partir dos casos identificados em Pernambuco, estão sendo realizadas investigações epidemiológicas de campo, tais como: revisão de prontuários e outros registros de atendimento médico da gestante e do recém-nascido. Também estão sendo feitas entrevistas com as mães por meio de questionário. Os casos seguem para investigação laboratorial e exames de imagem como a tomografia computadorizada de crânio.

 

12. Qual período da gestação é mais suscetível à ação do vírus?

 

Pelo relatado dos casos até o momento, as gestantes cujos bebês desenvolveram a microcefalia tiveram sintomas do vírus Zika no primeiro trimestre da gravidez. Mas o cuidado para não entrar em contato com o mosquito Aedes aegypti é para todo o período da gestação.
 

13. Neste momento, qual é a recomendação para as gestantes?

 

- fazer acompanhamento com consultas de pré-natal, realizando todos os exames recomendados pelo seu médico;

 

- não consumir bebida alcoólica ou qualquer tipo de droga;

 

- não utilizar medicamentos, principalmente controlados (antidepressivos, anticonvulsivantes e ansiolíticos) sem a orientação médica;

 

- evitar contatos com pessoas com febre, rash cutâneo ou infecções;

 

- se houver qualquer alteração no estado de saúde da mulher, principalmente até o 4º mês de gestação, comunique o fato ao profissional de saúde para as devidas providências no acompanhamento da gestação;

 

- adotar medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doenças (Aedes aegypti), eliminando os criadouros (retirada de recipientes que tenham água parada e cobertura adequada de locais de armazenamento de água);

 

- adotar medidas de proteção contra mosquitos com manutenção de portas e janelas fechadas ou utilizar redes de proteção, usar calça comprida e camisa de manga longa e utilizar repelentes indicados para gestantes (ex. Icaridina exposis, DEET adulto 15% e IR3535).

 

14. Neste momento, qual é a recomendação para gestores e profissionais de saúde?

 

É importante que os profissionais de saúde estejam atentos à avaliação cuidadosa do perímetro cerebral e à idade gestacional, assim como à notificação de casos suspeitos de microcefalia no registro de nascimento no Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC). Por ser uma fonte de contato direto com a população, os profissionais também devem reforçar o alerta sobre os cuidados para evitar a proliferação do mosquito da dengue, e orientar as gestantes sobre as medidas individuais de proteção contra o Aedes aegypti. 

 

Fonte: Secretaria da Saúde do Paraná

Galeria de Fotos

Zika e Microcefalia

Cep: - -